Ir para conteúdo

Uso de faróis com LED se populariza, mas exige atenção na escolha

ComparativoLEDPhilips_bx

O efeito visual é bacana, a eficiência reconhecida e a durabilidade alta, mas a tecnologia LED (diodo emissor de luz) requer atenção especial ao ser instalada nos faróis dos automóveis não projetados para esse uso. O alerta é da holandesa Philips, empresa que há mais de 100 anos lidera o segmento de luzes automotivas. Ela está lançando no Brasil a segunda geração de lâmpadas em LED para o mercado de reposição, e espera que em breve os carros nacionais passem a contar com esse item de série, a exemplo de vários modelos importados.

“O processo de desenvolvimento do LED Philips é minucioso; requer projeção de luz nos pontos estratégicos, respeitando a linha de corte em harmonia com o conjunto ótico do veículo para não ofuscar a visão de quem trafega no sentido contrário e permitir com que o motorista enxergue melhor”, diz Juliana Gubel, gerente de Marketing da Lumileds Brasil, divisão automotiva da Philips.

20180807_113946
Faróis com lâmpada em LED dentro da regulamentação

Por isso, a tecnologia LED para faróis automotivos, ainda sem regulamentação no País e comercializada sem o selo de segurança do Inmetro, pode ser o grande vilão quando o assunto é ofuscamento. A aplicação de lâmpadas de fora da regulamentação pode gerar multa ao dono do carro, e a obrigação de removê-las.

Aliás, a recomendação da Polícia Rodoviária e dos Detrans é que a troca do conjunto original seja registado no documento do carro. Para isso é preciso de um laudo em oficinas credenciadas, além do registo hum posto do Detran. Sim, muita burocracia, mas a ideia é evitar que luzes fora da legislação ofusquem os carros à volta, em vez de melhorar a iluminação, como seria o objetivo.

20180807_114021
Lâmpadas em LED fora das normas do Contran

A linha de lâmpadas de sinalização em LED da Philips pode ser instalada nas luzes de seta, freio, ré, neblina, placa, luz interna, entre outras. A gama traz colorações âmbar, vermelho e branco. De acordo com a empresa, elas garantem 160% mais luminosidade, se comparadas com as lâmpadas convencionais. A luz branca, com temperatura de cor de 6.200 K, dá ao carro uma aparência moderna, mais clara e intensa que os faróis de xênon. A durabilidade é de até 8 anos com baixo consumo de energia, o que faz com que sejam cada vez mais utilizadas em veículos elétricos.

Glauco Lucena Ver tudo

Paulistano, nascido em 1967, é jornalista, com formação em Ciências Sociais e MBA em Gestão de Negócios. Desde 1990 atua no setor automotivo. Trabalhou por 24 anos em redações de jornais, revistas e sites, entre eles Autoesporte (Editora Globo), Jornal do Carro (Estadão) e Carsale (UOL).

Recentemente, dentro do Grupo FCA, foi um dos responsáveis pela comunicação da Jeep durante os 3 anos do processo de relançamento da marca no Brasil. Hoje, atua como colunista, consultor, gerador de conteúdo e influenciador digital na área automotiva.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: