Ir para conteúdo

Anúncio de investimentos marca 42 anos da fábrica da Fiat em Betim (MG)

ESPAÇO BRANDED CONTENT

Hoje, 9 de julho, o Polo Automotivo Fiat completa 42 anos, num momento em que se consolida como centro irradiador de inovação para sustentar o novo ciclo de investimento da FCA na América Latina. Nos próximos cinco anos, o aporte na região totalizará R$ 14 bilhões, com destaque para a marca Fiat – que também produz na Argentina).

imagem (9)

Inaugurado em 1976 na cidade mineira de Betim, é o maior e mais flexível complexo industrial do grupo FCA no mundo. Também é dali que saem os motores da nova família global Firefly, além do design e as tecnologias dos novos carros da marca na América Latina. Com mais de quatro décadas de atividade, o Polo opera com as mais avançadas tecnologias de produção automotiva do mundo, além de abrigar o Centro de Pesquisa & Desenvolvimento Giovanni Agnelli, com laboratórios para testes e simulações, realizados em sinergia com os times da Itália e dos Estados Unidos.

“A FCA iniciou o segundo ciclo de investimentos, que tem entre os objetivos o fortalecimento da Fiat”, afirma o presidente da FCA para a América Latina, Antonio Filosa, destacando os marcos de liderança da marca: “Hoje, a Fiat tem a primeira e a segunda picapes mais vendidas no Brasil com Toro e Strada; o subcompacto mais vendido no Brasil com Mobi; o comercial leve mais vendido no segmento com Fiorino. Também estão crescendo consistentemente as vendas de Argo e Cronos”.

Polo_Automotivo_Fiat_Betim_Funcionarios

Para ampliar a presença no mercado, a estratégia para os próximos anos será a entrada no segmento de UVs (Utility Vehicle), que são carros urbanos mais altos e com capacidade de suportar terrenos acidentados. Hoje, é o segmento que mais cresce na América Latina, responsável por cerca de 15% do mercado.

No total, até 2022, serão 15 lançamentos da marca Fiat na América Latina, sendo três novos modelos UVs, uma picape, uma nova família de motores, além das atualizações dos modelos em linha e séries especiais. “Não bastam carros novos, queremos altíssima qualidade e conteúdos inovadores”, ressalta Filosa, destacando a relevância do desenvolvimento de novas tecnologias que irão surpreender o consumidor.

imagem (8)

Com 2,25 milhões de metros quadrados de área total, o Polo Automotivo Fiat é uma verdadeira cidade, com cerca de 15 mil funcionários. Existem ali nove postos bancários e são realizados mais de 19 mil serviços de alimentação por dia. O complexo já produziu quase 16 milhões de veículos, dos quais quase 4 milhões foram exportados, para mais de 30 países. Em 2017, o Polo Automotivo Fiat produziu 70% dos carros que a FCA exportou do Brasil.

Ali dentro estão localizadas duas plantas: uma de Veículos (que compreende o ciclo completo de produção, com as unidades de Prensas, Funilaria, Pintura e Montagem Final) e outra de Powertrain (com as unidades de Motores e Transmissões). Além disso, está instalado ali um dos quatro centros de P&D do grupo FCA no mundo: o Centro de Pesquisa & Desenvolvimento Giovanni Agnelli, composto por Design Center, Engenharias de Projeto de Veículo e Motopropulsor, Engenharia Experimental e Engenharia Powertrain. Isto confere ao Polo Fiat a capacidade de criar um veículo do início ao fim. Na foto aérea, a pista de testes com 3,6 mil metros de extensão se destaca.

Flexível e dinâmica, a Planta Veículos é responsável pela produção de 8 modelos: Uno, Fiorino, Doblò, Grand Siena, Weekend, Strada, Mobi e Argo. O Fiat Toro não é produzido ali, mas no Polo Automotivo Jeep, em Goiana (PE), e Cronos é fabricado em Córdoba, Argentina. Ducato completa a gama da Fiat, sendo importado do México.

Infográfico_42_anos_betim

 

Glauco Lucena Ver tudo

Paulistano, nascido em 1967, é jornalista, com formação em Ciências Sociais e MBA em Gestão de Negócios. Desde 1990 atua no setor automotivo. Trabalhou por 24 anos em redações de jornais, revistas e sites, entre eles Autoesporte (Editora Globo), Jornal do Carro (Estadão) e Carsale (UOL).

Recentemente, dentro do Grupo FCA, foi um dos responsáveis pela comunicação da Jeep durante os 3 anos do processo de relançamento da marca no Brasil. Hoje, atua como colunista, consultor, gerador de conteúdo e influenciador digital na área automotiva.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: