Ir para conteúdo

Teste de autonomia: Jeep Compass diesel foi o carro ideal para viagem com postos fechados

Por GLAUCO LUCENA/BRANDED CONTENT

Jeep_Compass_Nighteagle

Viagem de férias marcada com a esposa, pousada reservada em Paraty… Eis que a greve dos caminhoneiros colocou os planos em xeque. Nem o carro flex dela, nem o meu velho e beberrão carro a gasolina teriam autonomia para os quase 600 km do percurso ida e volta entre São Paulo e a histórica cidade fluminense. A solução foi propor um teste de autonomia à Jeep, com um modelo diesel. Por sorte, havia disponível um Compass Night Eagle, série especial lançada no fim do ano passado. E ele estava com o tanque quase cheio – não havia mais postos abertos para tentar completar.

Caímos na estrada no dia 27 de maio, com estradas desertas, postos fechados e centenas de caminhões estacionados à beira da Rodovia Dutra. Com 11 das 12 barras do marcador de combustível, calculei que havia algo pouco abaixo de 55 litros no tanque do Compass, que tem capacidade para 60 litros. A primeira parada para almoço foi na cidade de Cunha, ainda em São Paulo, no alto da Serra do Mar. Por curiosidade, ia parando em vários postos da cidade, perguntando sobre combustíveis. Em apenas um deles encontrei diesel S10, e completei o tanque com 14,6 litros, para rodar tranquilo. Afinal, além de ir a Paraty, queria fazer passeios pela região.

IMG_20180601_131515_985

Com autonomia garantida por este abastecimento inesperado, rodei tranquilo por cinco dias. Entre Cunha e Paraty, tomei a bela e restaurada Estrada Real, que desce a Serra do Mar rumo ao litoral sul do Rio de Janeiro. De Paraty, fomos um dia à bela praia de Trindade, com acesso por uma serrinhas de curvas estreitas e acentuadas. Bom para me lembrar como é boa a suspensão desse Jeep. e também seu isolamento acústico exemplar, que permite curtir numa boa a trilha sonora no novo sistema multimídia, com espelhamento para celular (novidade na linha 2018, assim como a abertura elétrica do porta-malas).

Mas como o papo aqui é economia e autonomia, vamos aos números, lembrando que o retorno foi pela sinuosíssima serra que liga Ubatuba e São Luís do Paraitinga (parada para o almoço antes de seguir para São Paulo, no dia 31 de maio). Uma prova de força para o motor 2.0 Multijet de 170 cv e 35,7 mkgf. Ainda não havia diesel S10 nos postos quando deixei Paraty, embora os caminhoneiros já tivessem encerrado os bloqueios.

IMG_20180528_110534_170

TOTAL PERCORRIDO: 627 QUILÔMETROS

DIESEL GASTO: APROXIMADAMENTE 45 LITROS

MÉDIA DE CONSUMO: 14,1 KM/L

AUTONOMIA COM UM TANQUE CHEIO (60 L): 846 KM

RESUMO DA ÓPERA: Se eu não tivesse encontrado aquele único posto em Cunha e completado o tanque, conseguiria fazer todo o percurso de 627 km com os quase 55 litros de diesel que tinha ao partir. Mas aqueles 14,6 l (mais de 200 km garantidos) me ajudaram a ter serenidade para fazer os passeios e curtir o restante da viagem sem o stress de imaginar uma pane seca no retorno. Em Paraty, encontrei muita gente que adiou o retorno por falta de combustível. Sem falar de muitos cancelamentos de reserva, pelo mesmo motivo. O Jeep Compass diesel deu provas de que, em certas ocasiões, boa autonomia não tem preço. Com um tanque cheio, dá para rodar 850 km nas condições em que rodei, com serras sinuosas na ida e na volta, e alguns trechos off-road. Para viagens em estradas planas, como no interior de São Paulo, dá para rodar cerca de 1.000 km com um tanque, a velocidade de cruzeiro.

IMG_20180531_171429577_LL

O Jeep Compass, lançado no fim de 2016, já teve 78.929 unidades emplacadas até o fim de maio. Foi o SUV mais vendido do Brasil em 2017, apesar de ser maior que os rivais e partir de R$ 109.990. A versão usada na viagem custa R$ 150.490. Neste ano, o modelo continua líder, com mais folga, e deve superar a marca de 100 mil emplacamentos totais em agosto. No atual ritmo de vendas, deve fechar o ano com mais de 55.000 unidades vendidas, um recorde absoluto para a categoria.

 

 

 

Glauco Lucena Ver tudo

Paulistano, nascido em 1967, é jornalista, com formação em Ciências Sociais e MBA em Gestão de Negócios. Desde 1990 atua no setor automotivo. Trabalhou por 24 anos em redações de jornais, revistas e sites, entre eles Autoesporte (Editora Globo), Jornal do Carro (Estadão) e Carsale (UOL).

Recentemente, dentro do Grupo FCA, foi um dos responsáveis pela comunicação da Jeep durante os 3 anos do processo de relançamento da marca no Brasil. Hoje, atua como colunista, consultor, gerador de conteúdo e influenciador digital na área automotiva.

Um comentário em “Teste de autonomia: Jeep Compass diesel foi o carro ideal para viagem com postos fechados Deixe um comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: