Ir para conteúdo

Polo Automotivo Jeep completa três anos e supera 400 mil veículos produzidos

ESPAÇO BRANDED CONTENT

O Polo Automotivo Jeep em Goiana, Pernambuco, completou três anos de operações, com muitos motivos para comemorar. Essa é a fábrica mais moderna da FCA no mundo, referência internacional em gestão, qualidade e sustentabilidade, e apenas um mês após o início do terceiro turno ela atingiu a marca de 400 mil veículos produzidos. Estamos falando dos Jeeps Renegade e Compass e da picape Fiat Toro, três sucessos de mercado da FCA que são produzidos ali. Todos lideram em seus segmentos de mercado. O Compass, aliás, é o SUV mais vendido do país com folga.

PoloAutomotivoJeep_04

Do total produzido, 66 mil foram exportados para países como Argentina, Chile, Colômbia, México, Peru e Uruguai, o que elevou a mercadoria “automóveis” à segunda mais exportada do estado de Pernambuco, atrás apenas de graneis líquidos (petróleo e óleos vegetais, por exemplo). Com a inauguração do terceiro turno de operações, o Polo Automotivo Jeep passa a operar 24 horas por dia e se aproxima rapidamente da sua capacidade plena de produção: 250 mil veículos por ano.

Concebido utilizando ferramentas de simulação virtual de processos, equipamentos de última geração e soluções de ergonomia, o Polo Automotivo Jeep já nasceu preparado para a chamada Quarta Revolução Industrial, ou Indústria 4.0. Na verdade, a inauguração dessa fábrica é considerada o marco da chegada da indústria 4.0 ao Brasil. Naquela área de 270 mil metros quadrados onde antes havia um imenso canavial, hoje existe o que há de mais moderno na produção de automóveis no mundo, com toda a infraestrutura necessária para seu funcionamento. E, como diria o saudoso tio do Homem-Aranha, “todo poder vem com grandes responsabilidades”. Assim, junto com a fábrica de carros, existe uma fábrica de mudas.

PoloAutomotivoJeep_02

A FCA tem hoje ali um dos maiores projetos de preservação da Mata Atlântica no mundo, o Programa de Biodiversidade da Jeep, que ajuda a restaurar o bioma original da região, que existia ali antes da plantação de cana. Até o fim de 2017, foram plantadas mais de 70 mil mudas de 289 espécies diferentes, 27 delas em extinção, todas produzidas no viveiro. Os locais de plantio são escolhidos com cuidado, para formar corredores ecológicos capazes de conectar fragmentos florestais e atrair a fauna local. E isso já está acontecendo! Após esse primeiro período de restauração do bioma, já foram observados na área da fábrica muitos animais selvagens originais da região, como a jaguatirica e o tamanduá, retornando ao seu habitat natural. A meta é alcançar o plantio de 208 mil mudas até 2024, com a criação de 304 hectares de área verde e corredores ecológicos.

E o Programa de Biodiversidade é apenas um dos projetos socioambientais ativos no Polo Automotivo Jeep, que já foi construído para ser referência em sustentabilidade. A planta utiliza energia 100% renovável e é “Aterro Zero” (todos os resíduos são reciclados ou reaproveitados através da ilha ecológica). Além disso, o índice de recírculo da água, que já é enorme (99,4%), continua aumentando à medida em que o consumo também reduz (47% menos em apenas um ano), tudo feito através da metodologia WCM. A fábrica também tem o selo da ONU de Carbono Neutro (escopos 1 e 2) por compensar todas as emissões de gases do efeito estufa, uma referência no Grupo FCA no mundo.

PoloAutomotivoJeep_05

Hoje no Polo Automotivo Jeep trabalham 13.600 funcionários, diretos e indiretos (distribuídos entre as 16 empresas do Parque de Fornecedores localizado ao redor e também os terceirizados), dos quais 95% são nordestinos, sendo 87% naturais dos municípios da região, hoje plenamente capacitados e já assumindo funções de gerência (com o novo horário de funcionamento, mais gente foi contratada). “Fizemos um trabalho de excelência na qualificação dos colaboradores e conseguimos enraizar a cultura industrial na região. Hoje, contamos com profissionais altamente treinados que assumiram a condução da fábrica e são capazes de capacitar uma nova geração de profissionais”, avalia Pierluigi Astorino, gestor da fábrica.

O presidente da FCA na América Latina, Antonio Filosa, nota que o êxito na implementação desse terceiro turno é uma prova prática do otimismo com que o grupo olha para o continente: “Um terceiro turno significa mais volume, e basicamente, porque queremos vender mais. Mais Renegade, mais Compass e mais Toro”, disse, em entrevista coletiva realizada logo após sua palestra no seminário Tendências de Negócios – Mercosul Automotivo em São Paulo. “Estamos longe do teto. Podemos crescer e vamos crescer”, assegura.

SAIBA MAIS SOBRE A FÁBRICA DA FCA EM PERNAMBUCO NO SITE MUNDO FCA

 

PoloAutomotivoJeep_03-682x1024

 

Glauco Lucena Ver tudo

Paulistano, nascido em 1967, é jornalista, com formação em Ciências Sociais e MBA em Gestão de Negócios. Desde 1990 atua no setor automotivo. Trabalhou por 24 anos em redações de jornais, revistas e sites, entre eles Autoesporte (Editora Globo), Jornal do Carro (Estadão) e Carsale (UOL).

Recentemente, dentro do Grupo FCA, foi um dos responsáveis pela comunicação da Jeep durante os 3 anos do processo de relançamento da marca no Brasil. Hoje, atua como colunista, consultor, gerador de conteúdo e influenciador digital na área automotiva.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: