Ir para conteúdo

Seis razões que fazem do Salão de Genebra o mais bacana de todos

palexpo.JPG

Dois dos posts de AutoBuzz que mais repercutiram recentemente discutiam a razão de ser dos salões automotivos. Muitos deles perderam o foco na estratégia e no entretenimento. O Salão de Detroit, em janeiro, por exemplo, foi completamente ofuscado pela feira de tecnologia CES 2018, de Las Vegas. A ponto de, na semana passada, os organizadores do mais tradicional evento norte-americano terem anunciado a intenção de mudar o Salão de Detroit de janeiro para outubro, para fugir da CES. Desse problema, ao menos, o Salão de Genebra não padece. No post desta semana, o jornalista Glauco Lucena explica por que a exposição suíça se firma a cada ano como o salão de carros mais interessante do planeta, por seis motivos:

  1. A neutralidade (país sem montadoras)
  2. A época do ano (sem concorrência)
  3. O segundo andar dos sonhos, com as máquinas mais desejadas do mundo
  4. A presença rara de estúdios de estilo, preparadores e fábricas artesanais
  5. O fato dos estandes pequenos só mostrarem o que realmente é novidade
  6. A bíblia dos fãs de carro (catálogo com todos os modelos em produção no mundo)

Se você é fã de carros de todos os tipos, dos mais comuns aos mais exóticos, e sonha em visitar uma exposição internacional, o Salão de Genebra é o que merece seu investimento em algum momento da vida. Com mais de 100 anos de tradição (o primeiro foi em 1905), ele consegue ser ao mesmo tempo divertido e antenado. Nenhum outro no mundo reúne tanta variedade e qualidade por metro quadrado de exposição.

Confira o post completo no blog AutoBuzz do portal iG Carros

Glauco Lucena Ver tudo

Paulistano, nascido em 1967, é jornalista, com formação em Ciências Sociais e MBA em Gestão de Negócios. Desde 1990 atua no setor automotivo. Trabalhou por 24 anos em redações de jornais, revistas e sites, entre eles Autoesporte (Editora Globo), Jornal do Carro (Estadão) e Carsale (UOL).

Recentemente, dentro do Grupo FCA, foi um dos responsáveis pela comunicação da Jeep durante os 3 anos do processo de relançamento da marca no Brasil. Hoje, atua como colunista, consultor, gerador de conteúdo e influenciador digital na área automotiva.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: